Meditação da Palavra

22 setembro 2013

O rico e o reino

O que Jesus falou foi muito sério. E muito forte. "Como é difícil um rico entrar no Reino de Deus". Foi uma constatação dolorosa. Ele viu o jovem afastar-se triste por não ter coragem de segui-lo. E por que não teve coragem? Porque seguir Jesus significaria adotar uma filosofia de vida que iria mexer com sua condição financeira.

O Papa Francisco chegou a explicar, outro dia, que o bem-estar que se vive na Europa e em alguns setores de nossa sociedade, é um sério perigo para o seguimento de Jesus. Ele afirmou: "A cultura do bem-estar está produzindo gente covarde, preguiçosa e egoísta". Olha que esse Papa não tem papa na língua. Falou mesmo: "A cultura do bem-estar está produzindo gente covarde, preguiçosa e egoísta". Isso é a tradução do que Jesus falou: "Como é difícil um rico entrar no Reino de Deus".
Parece que o dinheiro fecha o coração. Ao menos, dinheiro muito, riqueza. A riqueza pode fechar o coração para Deus e para o próximo. É só alguém melhorar de vida que logo desconhece os amigos, não é verdade? E se enricar, pode escrever, se esconde até dos parentes. É verdade, o dinheiro pode fechar o coração da pessoa. O outro vira uma ameaça, quer tomar o que é seu. O rico é tentado a pensar que não precisa dos outros, o dinheiro dele compra tudo. Ele não precisa de ninguém, nem de amigos, nem de parentes. Ele paga quem trabalha pra ele. Não precisa do favor de ninguém. É o que ele pensa.
E se o rico chega a se esquecer dos outros, imagine de Deus... E por quê? Por uma razão simples: o dinheiro pode tomar o lugar de Deus no coração da pessoa.  E se a riqueza for a coisa mais importante para uma pessoa, ela passa a ser o deus daquela pessoa. Jesus falou assim no Evangelho: "Não se pode servir a dois senhores. Não se pode servir a Deus e ao dinheiro". Se Deus for Deus na vida de alguém, o que muda? Vamos pensar.
Se Deus for Deus na sua vida, então, na sua vida valem a fraternidade, a caridade, a solidariedade  e a confiança na sua Providência. Você sabe que tudo que tem é ele quem providencia e que você sempre pode contar com sua proteção e amparo. Se Deus for Deus na sua vida, você cheio de confiança e gratidão aprende a pedir-lhe o essencial para viver bem, o pão de cada dia, não o supérfluo, a acumulação. E implorar dele o pão "nosso", não só o seu, isto é você também está preocupado com o bem dos outros, com a sobrevivência digna dos seus semelhantes.
Agora, se o Dinheiro for Deus na sua vida, aí na sua vida vigoram o individualismo, o egoísmo, a indiferença pelo sofrimento dos outros e a confiança inabalável no dinheiro que você tem no banco e nos bens que você possui. Você pensa que seu dinheiro compra tudo. Você nem precisa mais do Deus da Bíblia, porque você já tem a sua riqueza que é a sua segurança, o seu Deus. É no Deus-dinheiro que você confia. É por isso que você se sacrifica para ter sempre mais. E não se cansa de exibir sua riqueza: sua roupa de grife, seu carro do ano, suas viagens fantásticas, sua morada suntuosa... É nisso que você acredita: na riqueza que traz prestígio, poder e luxo. O Dinheiro é o Deus da sua vida. Ele, o dinheiro,  é o dono do seu coração.
Jesus tem razão: se a gente não tiver cuidado, a riqueza toma o lugar de Deus no nosso coração. E não precisa nem ser rico, basta ter o espírito da riqueza. Escute Jesus: "Como é difícil o rico entrar no Reino de Deus". Fique alerta!
Pe. João Carlos Ribeiro