29 novembro 2012

Discurso na Câmara dos Vereadores da Cidade do Recife, ao receber a Medalha do Mérito José Mariano


Exmo. Sr. Josenildo Sinésio, presidente desta Sessão.
Exmo. e Revmo. Dom Edvaldo Gonçalves do Amaral, arcebispo emérito de Maceió.
Exmo. Sr. Múcio Magalhães, proponente da comenda em pauta.
Senhoras e Senhores.

Honra-me sobremaneira comparecer hoje a essa Casa Legislativa, para acolher com gratidão a comenda que os nobres vereadores deliberaram outorgar-me, por iniciativa do Vereador Múcio Magalhães, a quem desejo externar um particular agradecimento. Aqui já estive em 2007 para receber o título de Cidadão da Cidade do Recife, de iniciativa do então vereador Severino Gabriel, uma homenagem que me obriga a servir melhor à cidade e à sua gente.

Entrar nesta Casa é mergulhar na história das lutas e das conquistas democráticas de nosso povo. Quantas recordações nos traz essa instituição dita "Casa de José Mariano", cujo nome emblemático é lembrado na comenda que acabo de receber. Desde sua inauguração, em 1710, com a instalação da Vila do Recife, por aqui passaram nomes que marcaram a história de Pernambuco e do Brasil. O Conselheiro José Mariano Carneiro da Cunha é um deles. Presidente do Conselho de Intendência Municipal, denominação que a Câmara recebeu na Constituição Republicana de 1891, ele, como Joaquim Nabuco, liderou a luta contra a escravidão negra no Brasil. Considerado um dos maiores políticos do seu tempo, o Conselheiro José Mariano foi o primeiro prefeito eleito do Recife. Este Legislativo Municipal é conhecido como "Casa de José Mariano" em virtude da homenagem que os vereadores do Recife fizeram-lhe, na década de 40, elegendo-o Patrono desta Casa.  A medalha do mérito José Mariano, a mais alta comenda do Legislativo Municipal, foi já concedido a centenas de outros cidadãos da cidade do Recife. Dessa feita, sou eu o agraciado, sem merecimento de minha parte, como é de minha obrigação reconhecê-lo.
Alegro-me, ainda assim, em comparecer aqui a esse propósito. Folgo ainda mais por não estar sozinho nesta solene Sessão, senão acompanhado de amigos, parentes, alunos, educadores meus colegas, membros de minha Congregação Religiosa e membros da Associação Missionária Amanhecer.  Assim, configura-se que não se trata de homenagem a uma pessoa pelo seu valor, que não chego a possui-lo, mas a alguém que representa o serviço das instituições a que está vinculado. É nesse sentido que me apresento aos senhores e senhoras, acolhendo de bom grado esta honrosa comenda como homenagem às instituições em nome das quais venho servindo ao povo da cidade do Recife na educação escolar e profissional, na comunicação, na assistência social, na evangelização.  Assim, essas pessoas que comigo aqui se apresentam recebem comigo essa medalha.

A comenda é, portanto, no meu entendimento, uma homenagem à Igreja Católica, à Congregação Salesiana, à Associação Missionária Amanhecer. É merecidamente uma homenagem à Igreja a quem sirvo na qualidade de ministro da Palavra e do Altar há 29 anos, na proclamação do Evangelho de Cristo no púlpito ou nos Meios de Comunicação Social, e de uma maneira particular na área da música religiosa, como compositor e cantor. A cidade do Recife de ontem e de hoje tem sua história vinculada à atuação da Igreja Católica e nem pode se compreender sem ela. A Igreja marca também aqui uma presença servidora em quase todas as áreas: educação, cultura, saúde, assistência social, comunicação, serviço religioso, tudo isso operacionalização da boa notícia de que é portadora, qual seja da dignidade da pessoa humana criada e amada por Deus, que manifestou seu imenso amor por nós na pessoa do seu filho amado,  Jesus Cristo Salvador. A Igreja Católica no Recife bem merece essa medalha.
No serviço na área dos Meios de Comunicação Social estou bem acompanhado do povo da Associação Missionária Amanhecer, a AMA, que congrega cerca de 3.000 pessoas empenhadas em manter no ar programas religiosos voltados para a evangelização e a catequese. De passagem, é bom que se informe, para o reconhecimento do serviço de nossa Associação, que nossa presença no rádio responde por três programas diários e dois semanais veiculados em 15 emissoras, em vários municípios, bem  como dois programas semanais na televisão, além de destacada presença em radioweb e nas redes sociais. Mas precisamos dos senhores para ir mais longe e para melhor realizarmos a missão a que nos propomos: evangelizar nos meios de comunicação social. A AMA bem merece essa medalha.

A comenda faz justa homenagem também à Congregação Salesiana, de quem sou membro há 36 anos, esta com duas presenças educativas marcantes na cidade do Recife: o Colégio Salesiano Sagrado Coração e a Escola Dom Bosco de Artes e Ofícios, além de outros três centros de educação e assistência social na área metropolitana. O Colégio Salesiano conta 118 anos de serviço à educação de inúmeras gerações que por ali receberam e recebem a marca de uma formação cristã comprometida com a cidadania e a justiça social. Estou terminando ali, no antigo Casarão do Mondego da Rua Dom Bosco, o meu terceiro ano à frente dessa Casa Salesiana, hoje oferecendo seus serviços em várias frentes: o Colégio, a Faculdade, o Teatro Boa Vista, a Basílica do Sagrado Coração, o Centro Esportivo e Oratório Dom Bosco. O Salesiano bem merece essa medalha.
A Escola Dom Bosco de Artes e Ofícios, com o denodado esforço dos religiosos e um rarefeito apoio do poder público, profissionaliza adolescentes em cursos gráficos, eletricidade predial, mecânica industrial, panificação, automecânica entre outros, como igualmente prepara e acompanha 900 jovens no projeto Adolescente Aprendiz. Nesta Casa de Educação Profissional, no Bairro do Bongi, servi como diretor durante três anos e aprendi o quanto urgente é o serviço educativo de qualidade junto à juventude de nossas áreas populares. A Escola Dom Bosco dos salesianos, no Bongi,  bem merece essa medalha.

Desejo valer-me também dessa feliz oportunidade para externar o meu e nosso sincero 'muito obrigado' aos vereadores nesse final de legislatura. Cumprem os senhores e senhoras vereadores nesta Casa um papel democrático de primeira grandeza, no exercício de suas funções constitucionais.  É justo o reconhecimento de todos nós pelo bom serviço, pela dedicação à nossa gente, pelo bem que realizaram na legislatura que se finda. De maneira particular, desejo registrar um agradecimento especial aos vereadores Josenildo Sinésio e Múcio Magalhães, com quem temos contado durante todo o tempo em que têm servido à população como vereadores. Neles, quero homenagear aqueles políticos desta Casa que emergindo das lutas populares dos bairros e das periferias, e animados pela fé cristã eu professam, mantêm-se firmes e fiéis às causas populares. Políticos como eles merecem também essa medalha.

Enfim, agradecendo cordialmente ao Vereador Múcio Magalhães por essa deferência em ter oferecido meu nome ao sufrágio dessa Casa em vista desta comenda, e a todos aqui presentes, o meu 'muito obrigado'. E, como se espera de um homenageado nessa área, firmo aqui publicamente o firme propósito de continuar servindo ao povo do Recife com o meu empenho educativo e pastoral, sustentado pelo meu compromisso de cristão e ministro do Evangelho.

Tenho dito.