20 junho 2012

Olho por olho

No estresse da vida moderna, trânsito congestionado, anúncio de tarifas em alta, o rádio dizendo que deu pizza no Congresso, a hora correndo, o nervosismo aumentando...  um cidadão, por quase nada, põe a cabeça pra fora do carro e rasga um desaforo dos grandes. A confusão começa...  por tão pouco, um outro saca o revólver e a desgraça está feita. No tempo de Moisés, era olho por olho. Mas, aqui a coisa parece que está bem pior.


A lei do velho testamento era "olho por olho, dente por dente". Era o que mandava a lei de Moisés. E já era um avanço em relação ao comportamento vingativo de muita gente.  A lei "Olho por olho, dente por dente"  visava dar uma medida à vingança, para ela não extrapolar. Isso porque por bem pouco, alguém por vingança deseja logo a morte, a desgraça para o outro. E assim tende a revidar um insulto com um tiro. Aí já é um olho pela vida da pessoa, uma medida sem lógica. Há quem por causa de uma reclamação, planeje uma vingança mortal contra o vizinho. A vingança sai maior do que a ofensa. A lei de Moisés queria equilibrar melhor as coisas: "um insulto por um insulto", "uma reclamação, por uma reclamação", nada mais. "Olho por olho, dente por dente". Uma medida mais justa do que a vingança descontrolada.

A lei do novo testamento é um passo adiante. Jesus ensinou: "Ouviram o que foi dito aos antigos: "olho por olho, dente por dente". Eu, porém, lhes digo: Não enfrentem quem é malvado! Pelo contrário, se alguém lhe der uma tapa na face direita, ofereça-lhe também a esquerda! – Assim também já é demais, não acham?. A lei do novo testamento é um grande desafio.

A lei de Moisés impunha um controle sobre a medida da vingança, para ninguém se exceder fora da conta. Com Moisés, quem foi ofendido tem o direito de responder com a mesma moeda. Não mais. Com Jesus, nem isso. Quem foi ofendido, não se vinga de jeito nenhum. Não responde com a mesma moeda. Não parte para a violência. Nada de "olho por olho, dente por dente". A lei de Jesus não quer só que a gente não se vingue, quer que a gente seja ainda mais generoso. Não só não parta para a violência, mas seja humilde e generoso para restabelecer a fraternidade.  Não somente não se vingar, mas também continuar amigo de quem me bateu. Pronto para receber outra pancada, outra traição, outra ofensa.  "Se alguém lhe der uma tapa na face direita, ofereça-lhe também a esquerda!". Quem pode realizar isto?

Ele mesmo dá o exemplo. Jesus mesmo, vejam só, foi quem em primeiro lugar realizou isso. Sua cruz foi isso! Nós o esbofeteamos, mas ele pediu ao Pai que nos perdoasse. Nós o crucificamos e, no entanto, ele nos reconciliou com Deus. O mandamento dele agora é vingança não (aquele negócio de olho por olho) e nem voltar as costas a quem nos ofende. Agora a nova lei nos manda ser fraternos a toda prova, o que alguém já chamou de não violência ativa. Nada de vingança. Nada de reações violentas. Permanecer desarmado, enfrentando a ofensa dos irmãos com humildade e pronto para o perdão. Puxa vida, quanto ainda temos que caminhar!

Pe. João Carlos Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E você, o que pensa sobre isso?