01 maio 2012

Maio de Maria

E o mês de maio vai prosseguindo. Por todo canto, as comunidades estão se reunindo para fazer do mês de maio um tempo de evangelização, de oração, de crescimento na fé. São famílias em oração, são comunidades em movimento... É a Igreja aprendendo com Maria a consagrar a vida pela oração e pela realização da vontade de Deus.


Quando compus a canção "Nossa Mãe", num mês de maio de alguns anos atrás, eu cantei o que estava vendo: "Nossa mãe reúne o povo, chama o povo pra rezar, pra pensar nos seus problemas e a vida melhorar".  Não é uma simples movimentação esta do mês de maio. A Igreja, nas famílias e nas comunidades, reza, conversa sobre seus problemas, renova seu compromisso de presença transformadora no mundo.  Aprende a ser, como Maria, um povo que levanta a Deus um hino reconhecido por sua atuação libertadora no mundo, como ela cantou no Magnificat: A minha alma engrandece o Senhor... Ele derruba os poderosos de seus tronos e eleva os humildes.

No outro verso do canto, eu escrevi: "Nossa mãe instrui o povo nas palavras de Jesus, pra olhar dentro da vida e achar de Deus a luz". E é verdade, Maria nos leva a Jesus. O mês de maio nos aproxima mais da pessoa do filho de Deus. Nossa mãe está sempre nos dizendo: "Façam tudo o que ele vos disser".  Por isso, no mês de maio, nunca nos esquecemos de ler as Escrituras Sagradas que contêm a Palavra de Deus. No Evangelho, encontramos Jesus que nos faz olhar nossa vida com olhos de fé, que ilumina a nossa caminhada com a luz de sua Ressurreição.

Entre as imagens de Nossa Senhora, há aquelas em que ela aparece com Jesus nos braços. E foi pensando nesta representação, que eu escrevi na terceira estrofe: "Nossa Mãe mostra o seu filho ao seu povo reunido, pra aprender a ser fraterno e acudir todo gemido". E é isso mesmo que aprendemos de Jesus: o amor pelos outros. Foi esta a herança que ele nos deixou -  o novo mandamento -  amai-vos uns aos outros. Esta é a marca do cristão: o amor pelos mais sofridos, pelos abandonados, pelos prisioneiros, pelos desamparados, pelos injustiçados. 

A tradição do mês mariano, na cidade grande, corre o risco de se perder, o que seria uma pena. Em muitos lugares, famílias e comunidades estão mantendo ainda viva a tradição. Reúnem-se para rezar o terço, cantar louvores à Virgem e, sobretudo, animar-se na fé, lendo e refletindo a Palavra de Deus. A oração do terço ganhou, com o Papa João Paulo II, um grande reforço. Numa inspiradora encíclica, ele colocou bases teológicas e pastorais que alavancaram a oração do rosário à condição de oração de meditação bíblica. De fato, contemplando os mistérios, repassamos os grandes momentos e verdades da vida de Jesus, ao lado de Maria. 

O mês de maio continua sendo um grande momento de evangelização de nosso povo. Maria continua o seu ministério de educadora da fé, de evangelizadora dos filhos, de mãe da Igreja do seu filho Jesus. Por isso ela é tão amada por todos nós. Não é só porque ela é um exemplo de fé, mas precisamente porque ela continua sendo nossa evangelizadora, educadora de nossa fé. Não só porque ela é mãe de Jesus, mas porque continua sendo mãe da Igreja, nossa mãe.  Assim, cantamos nesta canção: "Mãe de Jesus e mãe minha, é tua esta canção. Senhora, mãe e rainha, é teu o meu coração".

Pe. João Carlos Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E você, o que pensa sobre isso?