Meditação da Palavra

27 fevereiro 2016

Quem ficou do lado de fora?

Quem ficou do lado de fora? Adão. Adão e Eva. Eles ficaram do lado de fora. Excluíram-se do Jardim do Éden, ao ter escolhido agir contra a vontade de Deus. O pecado os afastou da felicidade. Dois arcanjos ficaram guardando a entrada do Jardim, com espadas de fogo: Adão e Eva ficaram do lado de fora.

Sabe quem também ficou do lado de fora? Aqueles que o dono da casa não reconheceu como seus amigos e não os deixou entrar para participar da festa. Barrados no baile, os que praticam iniquidade. Ah, mas nós te escutamos em nossas praças, vimos os teus milagres, andamos contigo. Fora, não conheço vocês. Os iníquos ficaram do lado de fora.

E quem mais ficou do lado de fora? As cinco jovens imprudentes, distraídas, desleixadas. Esqueceram-se de levar óleo suficiente para aguardar a chegada do noivo. Na demora, a chama de seus candeeiros se apagou. Correram para comprar mais óleo. Na volta, o portão já estava fechado. Ficaram do lado de fora.

O irmão mais velho do filho pródigo também ficou do lado de fora. Enciumado, ouviu o barulho de música e dança na casa do pai e negou-se a entrar em casa. Meu filho, teu irmão estava perdido e foi encontrado, vamos festejar! Entro não, eu nunca ganhei um cabrito sequer pra festejar com meus amigos. Eu, o caro honesto e trabalhador dessa família. O irmão mais velho ficou do lado de fora.
A família de Jesus, do lado de fora, mandou avisar que queria falar com ele. O Mestre aproveitou para ensinar uma grande lição. Olhou para os discípulos que estavam ao seu redor, dentro de casa, e perguntou quem eram os seus parentes. Ele mesmo respondeu: os que fazem a vontade do meu Pai. Esses são meus irmãos, minhas irmãs, minha mãe.

Adão e Eva se excluíram do paraíso, ficaram do lado de fora. O pecado os afastou da comunhão com Deus, os apartou da felicidade. Os convidados que não foram reconhecidos pelo dono da Casa acabaram sem poder entrar. Praticavam o mal, não podiam ser aceitos na festa. As moças não se preveniram, não levaram óleo bastante para a candeia. Quando voltaram, o portão já estava fechado. O irmão do filho pródigo não quis entrar em Casa. Achou injusto o pai perdoar o irmão errado e festejar sua volta. A família de Jesus também achou difícil entrar na casa. Queriam que Jesus saísse. Os discípulos são os que fazem a vontade de Deus. O lugar deles é dentro da casa.

A missão de Jesus foi reabrir as portas do paraíso, fechadas pelo pecado, e acolher os pecadores, os filhos de Eva. Na volta, somos recebidos com festa. Para o ingresso na Casa do pai, o local da festa, vale a conversão de quem pratica o mal e o coração misericordioso de quem imita o do pai. Entra na casa quem se mantém vigilante e comprometido na realização da vontade de Deus. O nosso lugar é dentro da Casa, o lugar da família, o local da festa, o próprio paraíso cujas portas foram reabertas para os pecadores.

Pe. João Carlos Ribeiro – 02.12.2011