27 setembro 2011

Calcular pra não fracassar

O conselho de Jesus continua atual: calcular bem pra não fracassar. "Vai construir uma torre¿ Então, calcule bem pra começar e terminar a obra. Um serviço pela metade gera frustração paro o dono e motivo de gozação para terceiros". Esse é um conselho de Jesus no evangelho que se aplica bem à necessidade de atenção na área financeira. Calcular bem as próprias despesas com base nas receitas, planejar gastos e investimentos, não se deixar levar pelo primeiro impulso em matéria de consumo.
Um conselho que muita gente está precisando.

Hoje, muitos especialistas estão escrevendo e comentando sobre a área de finanças pessoais. É que muita gente está se complicando na condução de seu orçamento familiar, se enrolando com débitos mal planejados ou aquisições que trazem novas despesas. A análise que se faz aponta dois problemas: a escola não ensina os adolescentes a mexer com dinheiro, não ensina educação financeira; e as pessoas estão deixando-se levar pela enorme força da propaganda, da publicidade e da atração da boa apresentação dos produtos. Nem a escola está ensinando educação financeira, nem as famílias. E o consumismo é uma doença perigosa, levando a pessoa a comprar o que não precisa e adquirir coisas apenas pelo impulso.

É possível que, tempos atrás, os filhos crescessem com maior consciência sobre custo, despesas, economia, porque participavam mais de perto da renda familiar. Hoje, os adolescentes sabem gastar, comprar, consumir, mas têm pouca consciência sobre a origem dos recursos pelo trabalho duro e sacrificado dos pais e a necessidade de poupar, economizar, reciclar os próprios brinquedos e material didático. Precisam, então, ainda mais de educação financeira em casa e na escola.

Acabei de ler um interesse volume sobre "Educação financeira ao alcance de todos", do professor José Pio Martins. Ele oferece noções básicas para o controle da economia familiar. Achei muito interessante uma dica que ele traz sobre educação financeira dos filhos: discutir em casa, envolvendo os filhos mais crescidos, sobre as receitas e despesas da família, acertando metas de economia para sanear débitos e melhorar a qualidade de vida da família. Recolho, ainda, outro conselho que ele deu que serve para todos nós: Procurar informações em livros, revistas, jornais, programas de rádio e televisão que estão explicando hoje sobre a boa condução das finanças pessoais.

O dinheiro não é tudo, nem pode ser a nossa maior preocupação. Mas, também nessa área é preciso atenção, planejamento, disciplina. Foi o que Jesus falou com a história da torre: planejar e gerenciar bem os recursos pra não fracassar.

Pe. João Carlos Ribeiro – 24.09.2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E você, o que pensa sobre isso?