30 agosto 2011

A profecia da educação

A Igreja continua a se preocupar e a se dedicar à educação das novas gerações. Esse serviço eclesial é obra de milhares de educadores cristãos, de centenas de congregações religiosas, de muitas Dioceses. A família salesiana - com suas escolas, centros juvenis, escolas profissionais e faculdades – contribui
de uma maneira especial com essa presença da Igreja no mundo da educação. E está também preocupada e comprometida com a difusão e a defesa dos direitos humanos. Prova disso, é que acabou de reunir centenas de educadores para discutir o assunto, em Brasília, em um Congresso de Sistema Preventivo e Direitos Humanos. Os participantes do Congresso dialogaram sobre o assunto com peritos, ministros, educadores e religiosos. E a família salesiana fez mais: envolveu jovens de todo o país, reunidos em uma Jornada Juvenil, para aprofundar o assunto e apresentar seu ponto de vista.

É que a família de Dom Bosco, como outros grupos no interior da Igreja, tem um pensamento e uma prática pedagógica que dão um tom especial a esse serviço junto aos jovens. E chama isso de Sistema Preventivo de Dom Bosco, como o próprio fundador o intitulava. Seu sistema educativo é chamado de "preventivo" porque quer  imitar a atuação educativa de Deus junto ao seu povo. São Paulo fala do amor preveniente de Deus: ele nos amou por primeiro e apesar de nossa condição de pecadores. O amor de Deus, manifestado em incontáveis gestos de carinho, proteção e propostas de aliança para conosco, é quem ajuda o povo a erguer-se em suas quedas e o mantém em marcha em busca do ideal de justiça e fraternidade. É assim que vemos na Bíblia. Nesses moldes, quer ser o sistema educativo de Dom Bosco: querer bem aos educandos, antes de tudo e apesar das falhas que eles tiverem. Esse amor educativo compromete o educador na tarefa de estar ao lado do jovem em seu crescimento para o bem, para a verdade, o futuro, a abertura para uma vida de comunhão com Deus e com o seu próximo.

O Sistema Preventivo de Dom Bosco, vivido pela família salesiana em suas instituições de educação formal e informal, baseia-se no amor educativo;  no apelo ao diálogo e à razão; e no caminho de fé e de amor a Deus. Sendo assim, esse sistema educativo pode abraçar a causa da formação para os direitos humanos. É que aonde a pessoa é respeitada, ela aprende a respeitar o valor e o direito do outro, especialmente dos mais pobres, os que não têm as mesmas oportunidades. Dom Bosco resumia todo seu esforço educativo e pastoral nesse objetivo: "bons cristãos e honestos cidadãos".
A verdadeira educação faz como Jesus fez com seus discípulos: põe os educandos no centro, estimulando sua participação no processo; educa em comunidade, no aprendizado  da convivência responsável em sociedade; compromete o jovem com o bem comum e a realização dos grandes sonhos da justiça, da paz e da fraternidade; ensina o valor supremo da vida e do amor de Deus, manifestado em Jesus Cristo. A verdadeira educação é promotora da cultura dos direitos humanos.

Em Brasília, o Congresso de Educadores e a Jornada dos Jovens terminou com uma caminhada a pé, com a imagem de Dom Bosco, desde o seu Santuário até a Ermida que está às margens do Lago Paranoá, num total de 18 km a pé. A caminhada com a imagem do santo sonhador foi uma profecia, como seu sonho sobre Brasília. Os jovens sonham com um Brasil mais justo, com oportunidades para todos, sem discriminação, sem miséria. A educação é quem pode ajudar os jovens a realizar esse sonho. E pra vencer tanta estrada, só com muita fé.

Pe. João Carlos Ribeiro – 29.08.2011
Postar um comentário