Meditação da Palavra

06 junho 2011

A verdade na web

Acabamos de celebrar o Dia Mundial das Comunicações. A igreja faz coincidir essa data com a festa da ascensão do Senhor. Jesus, ao elevar-se aos céus, aos olhos dos discípulos, lhes deixou um mandato: ir pelo mundo todo e fazer discípulos seus entre todas as nações. Para este 45º Dia Mundial das Comunicações, o Papa Bento XVI focou o tema: Verdade, anúncio e autenticidade de vida, na era digital.

 

Está em curso uma enorme mudança cultural e social operada pelas transformações no campo das comunicações, constata o Pontífice em mensagem. Ele encontrou um paralelo na história: a revolução industrial. Com a revolução industrial, iniciada na Inglaterra no século XVIII, a sociedade mudou radicalmente. Com a era digital, está mudando até o modo de aprender e de pensar. Cabeça boa tem esse Papa de 84 anos.

 

Quais seriam os grandes valores que a rede mundial de computadores, com seus revolucionários aplicativos, nos traz? Responde o Pontífice: muitos, a difusão de informações e conhecimentos e, sobretudo, enormes oportunidades de aproximação das pessoas e de construção de comunhão.

 

Mas, nem tudo são flores, pensa o Pontífice. Há também limites e perigos. Entre eles: a tentação de uma interação superficial e parcial entre as pessoas, o risco de a pessoa isolar-se num mundo paralelo ou expor-se excessivamente no mundo virtual. Bento XVI, em sua mensagem, mostrou também preocupação com o risco da atenção fragmentada e a sempre possível fuga do real. Foi o que ele escreveu: o contato virtual não pode nem deve substituir o contato humano direto com as pessoas.

 

Num ambiente tão promissor e pluralista das redes sociais, o cristão tem que estar aí como cristão. Escreveu o Papa: o estilo cristão de presença, também no mundo digital, traduz-se numa forma de comunicação honesta e aberta, responsável e respeitosa do outro. Comunicar o Evangelho nas novas mídias não significa só falar de Deus, mas no modo de se comunicar, escolher, emitir opinião o cristão tem que ser coerente com o Evangelho. Não pode haver anúncio de uma mensagem, sem um testemunho coerente, mesmo na grande rede mundial.

 

Somos chamados a anunciar nossa fé, também nesse mundo em que a web está contribuindo para novas formas de consciência intelectual e espiritual, é o que escreve o Papa.  Cristo é a resposta plena ao desejo autêntico do ser humano de relacionamento, de comunhão e de sentido. E mais: a verdade que procuramos partilhar não depende de popularidade. A verdade do Evangelho não é um objeto de consumo, é um dom que requer uma resposta livre do interlocutor.

 

Por fim, Bento XVI convida os jovens a fazer bom uso de sua presença neste areópago digital. Aliás, a juventude é o grande sujeito dessa fantástica mudança na comunicação. E recomenda aos agentes de comunicação: consciência e profissionalidade. Bela mensagem esta do Papa Bento XVI para o Dia Mundial das Comunicações.

 

Pe. João Carlos Ribeiro – 06/06/20